Pesquisa pretende produzir biofertilizante para feijão caupi na África

A Embrapa Agrobiologia aprovou um projeto para a realização de pesquisas que visam o desenvolvimento de um inoculante para feijão caupi adaptado a região de Gana, na África. O projeto é uma colaboração entre Embrapa Agrobiologia e SARI (Savanna Agricultural Research Institute) , financiada pela Plataforma África-Brasil de Inovação Agropecuária (Africa-Brazil Agricultural Innovation Marketplace).

Entre as ações previstas está a aplicação de testes com os microrganismos que têm dado bons resultados no Brasil e com bactérias nativas a serem identificadas pela pesquisa na região africana. O feijão caupi é uma das principais fontes de proteína na alimentação dos países da África Sub-saara, podendo ser comparado ao uso de feijão preto no Brasil. A iniciativa é liderada pela Embrapa e o FARA (Forum for Agricultural Research in Africa), com apoio de diferentes fontes financeiras.
 
Além de identificação e testes com microrganismos para a elaboração do inoculante, o projeto envolve ainda o intercâmbio entre os pesquisadores da Embrapa Agrobiologia Robert Boddey e Gustavo Xavier e o pesquisador Mathias  Fosu, do SARI. Os pesquisadores vão conduzir experimentos tanto em condições controladas na estação experimental de Tamale, em Gana, assim como em propriedades de pequenos produtores da região. Está prevista ainda a capacitação de um técnico de Gana. Esse profissional virá ao Brasil e será treinado por pesquisadores da Embrapa para posteriormente multiplicar a tecnologia na África. O técnico vai aprender a produzir o fertilizante biológico em laboratório, realizar testes de casa de vegetação e verificar a eficiência do produto na lavoura.
 
Atualmente, a produção de feijão caupi em Gana ocupa uma área de 200 mil hectares. No continente Africano são 11,6 milhões de hectares plantados, com uma produção que chega a 5,5 milhões de toneladas de grãos.
 
Africa-Brasil
 
A Plataforma África-Brasil de Inovação Agropecuária (Africa-Brazil Agricultural Innovation Marketplace), que financia o projeto, é uma iniciativa internacional apoiada por diferentes fontes financiadoras, que visa à realização de projetos de cooperação entre instituições brasileiras e africanas.
 
A inoculação do feijão caupi
 
O inoculante é um biofertilizante natural que contém grande quantidade de microrganismos selecionados do solo e que misturado às sementes de feijão-caupi promove o crescimento e desenvolvimento das plantas.
 
A Embrapa Agrobiologia desenvolveu essa tecnologia inicialmente na região Norte e Nordeste, tradicionais áreas produtoras de feijão-caupi no Brasil, para aumentar a produtividade de grãos dessa cultura em até 30%, valor semelhante ao obtido utilizando 50 kg de nitrogênio por hectare.
 
Durante dez anos, pesquisadores da Embrapa Agrobiologia e da Embrapa Semi-árido coletaram amostras de solo da região semi-árida e identificaram 600 tipos de bactérias diferentes. A partir deste estudo, foi produzido um inoculante com uma bactéria selecionada para essa região.
Publicidade